A4-02
6/9 a 7/10/2017
segunda a sábado de 9 às 19h
Artistas
ana cristina mendes . beatriz pontes . cecília andrade . cris soares emanuel oliveira . graça carvalho . herbert rolim . jônia tércia . nely de carvalho . nino . paula souza . rodrigo braga sabyne cavalcanti . vânia marques . véio . weaver lima . zé tarcísio

O projeto M-ARTE, que tem a duração de três meses, surge como uma proposta de ocupação de uma galeria, cujo pensamento fundamental tem como inspiração alguns títulos de músicas do cantor Luiz Gonzaga, que em suas letras deixou uma rica leitura sobre o nordeste brasileiro. Mas de que nordeste estamos falando? A multiplicidade de manifestações e a complexa simbiose entre a tradição e a contemporaneidade nos faz pensar que existem muitos outros “nordestes”. Essa busca por diferentes olhares sobre um lugar aparentemente estabelecido é que estrutura a exposição aqui apresentada. Sala de Reboco, que tem como referência a música “Numa sala de reboco” (Luiz Gonzaga) é a primeira fase do projeto. Aqui, a sala de reboco encontra-se com o tradicional cubo branco da galeria e, nesse embate, nascem algumas reflexões sobre como os espaços são ocupados no campo da arte, do cotidiano e na fusão de ambos.

Jared Domício, curador – Luciana Eloy, co-curadora

A4-03
11/10 a 10/11/2017
segunda a sábado de 9 às 19h
Artistas
ana cristina mendes . beatriz pontes . cecília andrade . cris soares  . graça carvalho . herbert rolim . jônia tércia . marina de botas . vânia marques

O projeto M-arte, que tem a duração de três meses surge como uma proposta de ocupação de uma galeria, cujo pensamento fundamental tem como inspiração alguns títulos de músicas do cantor Luiz Gonzaga, que em suas letras deixou uma rica leitura sobre o nordeste brasileiro. Mas de que nordeste estamos falando? A multiplicidade de manifestações e a complexa simbiose entre a tradição e a contemporaneidade nos faz pensar que existem muitos outros”nordestes”. Distantes da ideia de fronteira como delimitação, mas próximos de certos modos de ser e estar que demarcam sensações.
Samarica, que tem como referência a música “Samarica parteìra” (Luiz Gonzaga) é a segunda fase do projeto.
Aqui, exploramos algumas perspectivas que vão além das mulheres descritas na música de Gonzaga. Na exposição, o conjunto de trabalhos apresentados nasce de um recorte construído na diversidade de manifestações das artes visuais que busca atualizar o olhar sobre alguns aspectos do feminino.

Jared Domício, curador – Luciana Eloy, co-curadora

Imagens

Click na imagem para ampliar.

Montagem Sala de Reboco

Click na imagem para ampliar.

A4-05