ibere-camargoEXPOSIÇÃO DO PINTOR IBERE CAMARGO EM FORTALEZA
30/08/1988 – 30/09/1988

A partir do dia 30 de agosto, com inauguração às 21 horas, a Galeria MULTIARTE (Rua Barbosa de Freitas 1727 – Aldeota – Telefone 224-7724) estará apresentando exposição individual do pintor Iberê Camargo, reunindo 36 obras entre pinturas, desenhos e gravuras.
O catálogo da mostra contém apresentação assinada pelo critico de arte Elmer Correa Barbosa, que observa que “…hoje Iberê é considerado o maior artista do pais, e o seu sucesso nos impede de ver a dramática trajetória de sua vida, marcada por renúncias e sacrifícios.”
Durante o período da exposição será lançado, em Fortaleza, o livro “No Andar do Tempo”, uma autobiografia de Iberê Camargo publicada em 1988 pela Editora L & PM, de Porto Alegre. Além deste lançamento, serão apresentados dois filmes:
“IBERE CAMARGO Pintura-Pintura” (iniciado em 1979, este filme aborda a pintura como um ato de expressão essencial do artista, de certo modo contestando as manifestações de arte conceitual que então propagavam que a pintura estaria “morta”. As imagens abrangem a fase abstrata da obra de Iberê Camargo, até a época do reaparecimento da figura em sua produção, por volta de 1981-1982). Produção da Embrafilme e Momento Filmes; roteiro, direção e fotografia de Mário Carneiro; música de Rogério Rossini; texto e narração de Ferreira Gullar.
“LITOGRAFIA NO BRASIL” (realizado em 1977, este filme apresenta o processo de gravação e impressão litográfica, com informações sobre a história do desenvolvimento da litografia no Brasil desde sua introdução em nosso país durante o século passado. Otrabalho dos artistas Iberê Camargo e Antônio Grosso permite ilustrar os diferentes processos de preparação da pedra litográfica). Produção de Mapa Filmes; direção de João Carlos Parreiras Horta; roteiro e texto de Elmer Correa Barbosa.
Os trabalhos expostos compreendem alguns importantes vetores da produção de Iberê Camargo entre 1987 e 1988, com especial destaque para técnicas bastante sensíveis no universo do desenho e da gravura. Todas as obras estão situadas nos limites da figuração, conforme a atual tendência do artista.

Capa do catálogo da exposição

capa ibere camargo